quinta-feira, 16 de maio de 2013

INSURGENTE


Autor: Veronica Roth

Título original: Insurgent


Após ler "Divergente" e ter ficado com imensas perguntas à espera de respostas, a leitura de "Insurgente" foi rápida e facilmente se percebe a euforia da adolescência por esta saga. Escrita simples, ritmo elevado e um romance que evolui muito lentamente para manter o leitor preso à leitura.

A primeira grande diferença em relação ao primeiro livro é que este se vira muito mais para o romance entre Tris e Quatro. Não me agradou particularmente, mas percebo que a autora o tenha feito para depois explorar certas situações, levando o leitor a sentir receio em certos momentos. Quatro continua a ser a melhor personagem do livro, e claramente a mais coerente. Tris, por seu lado, continua a ser uma rapariga difícil de gostar enquanto personagem principal. Não que seja má, só que por vezes não é coerente o suficiente, mas talvez essa falha se deva ao ritmo elevado que a autora impõe, pois acabamos por ver decisões que não fazem sentido (porque não são bem explicadas) vindo de alguém para quem a comunidade olha como um líder e que tem as características necessária para entrar no grupo de Eruditos.

E com isto chego a um dos pontos mais importantes do livro. Por um lado, com este livro percebemos que ser divergente não é assim tão raro, que foi algo que me agradou bastante (quem tiver lido a minha opinião ao livro anterior, perceberá porquê). Por outro lado, ao retirar este conceito de "raridade", Tris perde algum daquele toque especial que poderia ter, e com isso, torna-se difícil uma sociedade olhar para uma rapariga de 16 anos como alguém a seguir. Existem ainda outras personagens interessantes e gostei especialmente de Caleb, pois é muito mais coerente do que parece no início, e claro que os maus da fita também conseguem agora maior destaque, e de forma positiva. Peter foi a única personagem previsível (uma reencarnação de Malfoy) mas que não estraga o livro.

Com este livro vou dizer algo que é raro nas minhas opiniões: este livro deveria ter mais páginas, e aqui é apenas o meu gosto. Não digo que o livro ganharia qualidade com mais páginas, mas eu iria gostar que fosse tudo melhor explicado. Gostava que a autora explorasse melhor os traumas de Tris, gostava de sentir este mundo mais real, e gostava que o ritmo fosse mais lento. É tudo muito rápido e isso notasse em pequenas coisas que não irei revelar.

Apesar de a autora não ter ido pelo caminho que eu esperava, este livro é, na minha opinião, melhor do que o anterior, não por ser mais viciante ou mais coerente, mas porque consegue "tapar alguns buracos" com as suas explicações, principalmente nas últimas páginas. A revelação final levanta muitas questões, algumas que não serão fáceis de gerir mas que podem tornar esta saga muito melhor. Afinal, está o ser humano, pela sua natureza, destinado a repetir os seus erros? Afinal, de onde vem a necessidade de poder? É biológica ou cultural? Se a autora conseguir gerir estes temas e explicar o que ainda falta, então a saga será muito melhor.

Para já, e resumindo, esta é uma saga que viciou milhares de adolescentes e percebe-se o porquê. É fácil aconselhar este livro a qualquer jovem ou a qualquer leitor que goste de um livro rápido. No entanto, volto a dizer, um leitor mais exigente irá fazer muitas perguntas e ficará à espera dessas respostas. Mas, o público alvo são os adolescentes, e certamente que será um livro adorado e de enorme sucesso. Venha o terceiro livro para vermos como tudo acaba!

Se quiserem comprar ou saber mais sobre o livro, visitem o site da editora sobre o mesmo.

Luís Pinto

5 comentários:

  1. Excelente análise Luís. Acho que conseguiste expor muito bem o teu ponto de vista e fizeste uma excelente distinção entre um leitor adolescente e um leitor mais maduro.

    Continua com o fantástico trabalho.

    ResponderEliminar
  2. Olá Luís. Como prometido vim cá hoje para ver a tua opinião. Fiquei com muita vontade de ler o livro mesmo compreendendo as falhas que mencionaste vou dar uma oportunidade e esperar que fales sobre o último da trilogia.

    ResponderEliminar
  3. Não era para ler estes livros mas agora fiquei curioso com alguns pormenores que falas. Acho que vou esperar por opiniões ao último livro mas para já grande análise da tua parte, as always.

    ResponderEliminar
  4. é mesmo um livro que toda a gente fala. fartou-se de ganhar prémios no GR. Como sempre gostei muito da tua opinião. Uma verdadeira crítica bem pensada. É uma saga a ter em conta sem dúvida.

    ResponderEliminar
  5. Também gostei bastante da tua opinião e consegui olhar para o Divergente com olhos mais críticos. Obrigada pelas dicas. Agora vou ler este e depois digo-te o que achei.

    ResponderEliminar