sábado, 25 de janeiro de 2014

A CÚPULA - Livro II


Autor: Stephen King

Título original: Under the dome



Esta 2ª parte de "A Cúpula" é forte, mesmo muito forte, quer seja em termos visuais, psicológicos ou até de um ponto de vista crítico em relação a alguns temas, como a política, religião ou natureza humana e a sua capacidade para sobreviver.

Posto isto, Stephen King cria um grande livro, que não será, provavelmente, dos mais amados que escreverá, mas que tem uma qualidade inegável, capaz de nos transtornar ao ver o que podemos fazer para sobreviver, mas que também nos pode encher de esperança ao ver o que outros farão para que os que amam sobrevivam. E aos poucos, o livro de ficção-científica torna-se em algo mais do que isso... torna-se no melhor e no pior que a humanidade nos pode dar, torna-se nos extremos que nunca queremos experenciar, torna-se no ódio e no amor, no desprezo e no respeito.

E é por isso que este é um livro perturbador. King sabe contar uma história como poucos, dando-nos pequenas pistas, nunca revelando mais do que o necessário para nos levar a continuar a ler e questionar, enquanto nos vemos rodeados por um ritmo narrativo sempre alto, pronto para nos surpreender à mesma velocidade que a própria vida nos surpreende. 

Outro aspeto onde King consegue sempre ter grande qualidade, é nas personagens, e aqui volta a não falhar. Não querendo divulgar nomes, para que o leitor que comece a ler o livro não saiba de imediato a importância que alguma personagem possa ter, a verdade é que algumas são memoráveis, pelas suas personalidades, pelas decisões que têm de tomar, e pelas suas ações, quer sejam boas ou más. Os diálogos estão muito bons, ajudando à construção de algumas personagens e sociedade, mas também a criar o suspense que nos fará continuar a ler, procurando a verdade do que está a acontecer.

O enredo é bom, bem construído, muito graças à criação de uma sociedade coesa e realista, cheia de detalhes interessantes que nos ajudam a criar na nossa mente a globalidade que o autor tenta atingir dentro de uma cúpula tão pequena. E com todos estes aspetos que realço aqui, quase nos esquecemos, enquanto estamos a ler, que existe uma cúpula, um efeito sobrenatural para o qual queremos respostas.

Há muito mais para dizer sobre estes dois livros, mas desvendar o quer que seja, seria um crime. A cúpula é um livro que não agradará a todos, mas dificilmente não nos marcará. Política, religião e sociedade misturam-se no amor e no querer sobreviver, levando-nos a questionar interesses, poder, ou o que devemos fazer com o pouco tempo que a vida nos dá, e até que ponto estamos preparados para abdicar de algo ou alguém. 

Luís Pinto

5 comentários:

  1. Grande análise. Mais um que me convenceste a comprar. Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  2. vi a série mas já me disseram que tem pouco a ver com os livros. Já tinha lido a tua opinião ao livro anterior e agora estou convencido a comprar. Já li outros dois livros do autor e gostei bastante e aqui falas em temas que gosto de ler e que acredito que o SK sabe falar como poucos.

    Abraço e boas leituras.

    ResponderEliminar
  3. Mais uma análise senhora de uma grande força e capaz de convencer qualquer um a ler a obra de um dos melhores escritores do nosso tempo. Parabéns pelo texto que está sublime.

    ResponderEliminar
  4. Convencido!

    Grande análise!

    ResponderEliminar
  5. Impossível não comprar depois desta opinião!

    ResponderEliminar