quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

A GRANDE AVENTURA DO REINO DAS ASTÚRIAS



Autor: José Javier Esparza




Sinopse: O nascimento do reino das Astúrias no seio da Espanha muçulmana foi uma empresa titânica de resistência e sobrevivência. Uma das aventuras mais fascinantes, não só da história de Espanha, mas também da história Universal. Se bem que pareça inconcebível que um punhado de rebeldes cristãos conseguisse formar um reino independente no norte da Península face ao maior poder do seu tempo, e, depois, estendê-lo para sul num tenaz labor de repovoação, foi isso que aconteceu em torno de Covadonga, entre as Astúrias e a Cantábria, a partir do ano 722. Como foi possível semelhante proeza? Quem foram os seus autores? Como se chamavam os heroicos pioneiros que começaram a conquistar terras para sul, mais graças às suas enxadas do que às suas espadas? José Javier Esparza submerge-nos naquela época extraordinária, onde todos os dias se jogava a sobrevivência de uma civilização. Ano após ano, passo a passo, o relato das origens do reino das Astúrias vai-nos revelando nomes e figuras hoje esquecidos: desde os pioneiros Lebato e Muniadona até a Beato de Liébana, passando pelos condes guerreiros e os monges colonos. Duzentos anos de história que culminam na chegada ao Douro e na metamorfose da coroa de Oviedo em reino de Leão. Mas, como é que tudo começou?



Confesso que pouco sei sobre a História da Península Ibérica antes de Afonso Henriques. Este foi um dos motivos para ler este livro, na esperança de aprender um pouco mais sobre esses anos passados.

Neste aspeto o livro cumpriu as minhas expectativas, ao pronto de me parecer que esse era exactamente o objectivo do autor: mostrar como era a vida naquele tempo, quais as forças políticas e religiosas, e, principalmente quais eram as crenças do povo e seu modo de vida.

Gostei da escrita, apesar de por vezes demasiado académica para um livro de ficção, e por isso demorei um bocado a entrar no livro, mas aos poucos os detalhes que o autor vai dando acabam por ajudar a criar uma imagem de um mundo que quis conhecer melhor. A isto junta-se uma história interessante, apesar de estar presa a alguns clichés do género e sem conseguir inovar para tornar o livro em algo único. Todavia, as personagens estão bem criadas e encaixam-se muito bem no mundo criado pelo autor.

Sendo o primeiro livro de uma trilogia, não quero, para já, alongar-me muito. Globalmente é um livro de altos e baixos, em que alguns momentos mais forçados e perguntas sem resposta (provavelmente para os próximos livros) acabam por penalizar um livro que me ensinou bastante. O seu trunfo é o mais que óbvio conhecimento do autor sobre esta era e a forma como suavemente nos vai transmitindo esse conhecimento. No entanto, não posso terminar esta análise sem aplaudir a forma como o autor conseguiu explorar o tema principal deste livro: a religião e o quanto ela foi a base para esta guerra e como começou aqui algo que iria mudar a vida de todos os que nasceram até agora.

Por tudo isto, quero voltar a esta trilogia, para ver o restante conhecimento que o autor irá colocar no seu livro, pois o seu valor histórico é grande. Se procuram um livro bastante focado nesta era, então este é uma boa escolha.

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário