quarta-feira, 10 de maio de 2017

O ANO DA DANÇARINA


Autor: Carla M. Soares




Sinopse: No ano de 1918, o jovem médico tenente Nicolau Lopes Moreira regressa da Frente francesa, ferido e traumatizado, para o seio de uma família burguesa de posses e para um país marcado pelo esforço de guerra, pela eleição de Sidónio Pais e pela pobreza e agitação social e política.
No regresso, Nicolau vê-se confrontado com uma antiga relação com Rosalinda, dançarina e amante de senhores endinheirados, e com as peculiaridades de uma família progressista.
Enquanto a Guerra se precipita para o fim e, em Lisboa, se vive a aflição da epidemia e da difícil situação política, a família experimenta o medo e perda, e Nicolau conhece um amor inesperado enquanto trava as suas próprias batalhas contra a doença e os próprios fantasmas.




Este é o segundo livro que leio de Carla M. Soares, e é claramente o melhor. Mas vamos com calma. Em primeiro lugar devo enaltecer o trabalho de investigação da autora, que aqui entrega um pacote de informação muito interessante e que torna a história coerente. É verdade que o ritmo do livro nunca é muito elevado, mas a autora consegue dar as informações certas no momento certo, nunca tornando o livro cansativo por informação a mais ou que pareça forçada.

A autora agarra um tema e uma época sobre a qual já li bastante e que mesmo assim me surpreendeu pela intensidade como descreveu alguns momentos. Sendo uma época negra com o instinto de sobrevivência no máximo a cada instante, as emoções de dor e revolta estão muito bem exploradas pela autora, sendo esse um dos grandes trunfos do livro: a forma como explora as emoções das personagens.

A história pareceu-me muito bem enquadrada na época, principalmente na forma como as mentalidades de algumas personagens estão exploradas. Sendo um livro sobre uma época que já li bastante, não existiu uma sensação de enriquecimento de conhecimento, mas é notório o quando a autora se esforça, e com sucesso, em oferecer o conhecimento necessário para que o leitor perceba alguns quadros sociais e políticos. Dificilmente um leitor se sentirá deslocado ou sem ter as noções necessárias ao que acontece à volta das personagens.

Carla M. Soares tem aqui um livro muito bem conseguido. Naturalmente, por ser numa época mais negra, não será um livro para qualquer leitor, mas aqueles que apreciem o género terão aqui uma boa leitura. É verdade que tem alguns momento óbvios ou que parecem algo forçados, mas num todo, o livro consegue ser bastante coerente e marcante, ajudando o facto de ser muito focado em personagens portuguesas e com as quais criamos rapidamente uma boa ligação. Se apreciam o género, então têm aqui uma boa leitura.

Luís Pinto

 

Sem comentários:

Enviar um comentário