terça-feira, 9 de maio de 2017

VENTO DE ESPANHA


Autor: João Pedro Marques




Sinopse: Custódio é um camponês beirão que decide vir para Lisboa estudar. Lurdes, uma lisboeta da Mouraria que sempre conseguiu recompor-se dos duros golpes da vida. Quando o caminho dos dois se cruza, a vida de ambos mudará para sempre. A sua história inicia-se em Portugal e estende-se, depois, a uma Espanha mergulhada na Guerra Civil. É aí que Custódio e Lurdes vão entrelaçar os seus destinos com três outros personagens: o violento Zanelli, o tenente fascista para quem o brado ¡Viva la Muerte! é um lema de vida; a corajosa Maria del Carmen, uma madrilena das classes altas que se guia por princípios de humanidade num tempo em que a moderação desapareceu; e o sagaz Vorobiov, coronel soviético profundamente desiludido com os rumos da revolução bolchevique.



Este é o primeiro livro que leio deste famoso autor e foi com alguma curiosidade que viajei por estas páginas até uma época negra em que o autor explora um momento bastante complicado em Espanha. Com uma base focada na guerra civil de Espanha de um ponto de vista mais social, o autor cria uma interessante história que demora a arrancar mas que consegue cativar com personagens coerentes e que me pareceram bastante realistas. A arte do autor está em criar a estrutura necessária a cada personagens, explorando mentalidades, objetivos e traumas passados que nos ajudam a compreender muitas das decisões que as mesmas irão tomar. 

O ritmo é suave, nunca acelerando demasiado, com a narrativa sempre focada em explorar o que é necessário para que o leitor sinta o peso daqueles momentos. Aos poucos torna-se num livro forte, com grande crítica social e política, e que nem sempre é imparcial, muito graças à visão dos seus personagens. Aliás, esse é um ponto a ter em conta, porque este é um romance histórico e não um livro académico. O autor cria um romance parcial, tendencioso em vários momentos, mas que são a visão dos personagens que seguimos. 

Gostei da forma como o autor avançou na história, com uma narrativa bem montada apesar de as decisões finais de algumas personagens serem algo óbvias. Não é um romance feito para nos surpreender, mas sim para nos marcar com uma visão dura de uma época sangrenta. De um ponto de vista crítico, este é um bom livro, apesar de não conseguir marcar da mesma forma que algumas obras primas que exploraram a guerra espanhola, mas foi sempre uma boa leitura. Se gostam do autor, este será mais um livro que irão gostar e que vale a pena ler se gostarem do género e do tema principal.

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário