sexta-feira, 16 de junho de 2017

A RAINHA SUBJUGADA


Autor: Philippa Gregory





Sinopse: Intriga, ambição, poder, amor e história, com uma pesquisa rigorosa e contada de forma soberba sobre Catarina Parr.
A última e sexta mulher sobrevivente de Henrique VIII. Uma mulher forte, intelectual, culta e de uma beleza cativadora. 






Poucos, ou talvez nenhum autor no mundo, conseguem ter tanto sucesso no género de romances históricos quanto Philippa Gregory. Quase sempre focados em personagens principais femininas, a autor volta aqui a explorar de forma convincente as mentes de homens e mulheres na era dos Tudors, com grande destaque, uma vez mais, para Henrique VIII.

Numa narrativa de ritmo equilibrado, a autora aprofunda os temas do costume: religião, crenças, construções sociais e enredos políticos, onde uns jogam por poder, outros pela sobrevivência, e quase todos por um pouco mais de influência. Tudo isto misturado em bons diálogos que muitas vees querem dizer mais do que foi dito.

Cheio de intriga, como sempre, estamos perante uma personagem principal que me surpreendeu em alguns momentos, principalmente na forma como lidou com vários personagens e os encaminhou pelo seu plano, criando ligações que seria necessários no futuro do país e também da sua própria sobrevivência. A autora explora a mente desta jovem e facilmente sentimos simpatia pela sua situação numa época em que as mulheres muito pouco peso e influência conseguiam exercer nos jogos políticos ou religiosos.

Tal como nos habitou, Gregory oferece mais um bom trabalho de investigação, não só de personagens, mas também na forma como mistura ficção e realidade e nos descreve os cenários e ambientes que facilmente nos ajudam a viajar até esta época.

Quem goste desta autora tem aqui mais um bom livro. Não está entre os melhores de Philippa Gregory, mas tem a qualidade que a autora nos costuma oferecer. Se gostam da autora ou do género, será certamente uma boa leitura, principalmente para o público feminino.

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário