sexta-feira, 10 de novembro de 2017

TRÊS MINUTOS PARA O JUÍZO FINAL


Autor: Joe Navarro






Sinopse: Florida, 1988. Joe Navarro, um dos mais jovens agentes alguma vez recrutados pelo FBI, é um eminente perito na «leitura» da linguagem corporal - possui uma capacidade desconcertante para inferir os pensamentos e intenções daqueles que interroga -, conhecido por ter uma ética de trabalho a que poucos companheiros conseguem sobreviver. Numa missão de rotina como tantas outras, tem pela frente Rodney Ramsay, um antigo soldado norte-americano destacado na Alemanha Ocidental entre 1983 e 1985.
Contudo, no decorrer da conversa, Navarro suspeita de algo que escapara a todos os outros agentes…
Aquilo que se seguiu é único na história da contraespionagem: interrogatórios após interrogatórios, planeados como um xadrez impenetrável, põem a descoberto um traidor à pátria, detentor de uma memória fotográfica perfeita e de um QI que o eleva ao nível de um génio - o seu único ponto fraco é o prazer que retira do desafio de enfrentar o seu inquiridor.
Tendo como cenário os últimos dias da Guerra Fria, Joe Navarro conta-nos o episódio, real, da maior falha de segurança na história dos Estados Unidos da América: Ramsay acabaria por revelar ter feito parte de um círculo de espiões que vendeu ao Bloco Soviético a informação que lhe permitiria, no momento final do Comunismo, aniquilar por completo o seu rival e os aliados ocidentais.

Regresso novamente à espionagem, um dos meus géneros favoritos. Aqui temos um livro que conta a história real, segundo o autor, de uma história que poderia ter efeitos enormes no mundo nos últimos anos. Enquanto crítico deste livro, deixarei de parte a questão de tentar perceber se tudo será verdade ou não, e olharei apenas para a narrativa em si.

A narrativa é inteligente e bem construída mesmo tendo em conta que poderá não ser fácil simpatizar com o personagem principal. No meu caso, foi mais fácil criar ligação com outras personagens menos importantes mas que me ajudaram a perceber o enredo e a perceber as falhas de cada uma das restantes personagens. Claro que sendo um livro sobre espionagem, muito está escrito entre as entre linhas, e mesmo não tendo o suspense de alguns romances de espionagem, o facto de sentirmos que estamos a ler algo real, ou baseado em algo real, oferece um peso adicional a um enredo que em certos momentos quase parece irreal.

As personagens estão bem exploradas e a narrativa é bem montada, criado suspense constante para que o leitor não pare de ler. São muitas as vezes em que o autor cria uma frase que deixa uma questão no ar, levando o leitor e criar novas teorias, a fazer a sua própria análise dos acontecimentos. E é assim que vamos avançando.

Globalmente, e apesar de não estar ao nível dos grandes romances de espionagem, este é um livro muito interessante. Talvez não se crie uma ligação emocional com o personagem principal e talvez se sinta que existem algumas coisas exageradas na narrativa, mas é impossível negar que esta história tem os seus momentos altos e que nos deixa a pensar na fragilidade de muito que damos por adquirido. Gostei bastante do livro, gostei da forma da forma como muito foi desvendado e também de algumas personagens secundárias. Se procuram boas histórias verídicas de espionagem, este livro deve estar na vossa prateleira. 

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário