quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Passatempo: Conclave - Vencedor!


PASSATEMPO

Conclave

Vencedor!



Chegou ao fim mais um passatempo com a já habitual parceria com a Editorial Presença. Uma vez mais, agradeço imenso à editora por todos os livros que me fornece para criar estes passatempos.


A todos os que participaram, muito obrigado e, se não ganharam, desejo-vos melhor sorte para a próxima. Estejam atentos a novos passatempos!


Sinopse: O Papa morreu. Por detrás das portas trancadas da Capela Sistina, cento e dezoito cardeais vindos de todo o planeta preparam-se para votar na eleição mais secreta do mundo.
São homens santos. Mas têm ambições. E têm rivais. 
Ao fim das próximas setenta e duas horas, um deles tornar-se-á a figura espiritual mais poderosa da Terra 


Para saberem mais sobre este livro, cliquem aqui!


E o vencedor é:

Alexandra Maria Machado Ferreira

Parabéns!


terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Passatempo: 4 3 2 1


PASSATEMPO

4 3 2 1
de Paul Auster


Para começar o ano em grande, continuamos com os passatempos! Desta vez vamos oferecer o livro "4 3 2 1" de Paul Auster, um dos melhores livros que li em 2017


Para se habilitarem a ganhar, basta:

- Subscrever o meu novo canal Tek Test no Youtube (Link aqui)
- Preencher o formulário
- Indicar, dos livros que escolhi para o Top 2017, qual gostariam que fosse oferecido no blog (Link aqui)

Apenas é permitida uma participação por pessoa.

Se partilharem o passatempo, a vossa participação conta a dobrar.

O passatempo termina dia 27 de janeiro

Boa sorte a todos!



domingo, 14 de janeiro de 2018

Top 2017 - Videojogos


TOP 2017 - Videojogos

Apesar de este ser um blog sobre livros, são muitas as vezes em que ofereço aqui alguns videojogos. Por isso, deixo-vos aqui o meu top 10 de videojogos em 2017.

Subscrevam o canal, pois terei passatempos em breve!


sábado, 13 de janeiro de 2018

TOP LIVROS 2017


TOP 2017

O ano de 2017 chegou ao fim e chegou o momento de escolher algumas das minhas leituras favoritas.

Vejam o vídeo em baixo e digam-me quais foram os livros que gostaram mais em 2017!

E se querem participar em novos passatempos, vejam no vídeo como se habilitam a ganhar!

Boa sorte a todos e bom 2018!


sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

CONCLAVE


Autor: Robert Harris

Título original: Conclave

Sinopse: O Papa morreu.
Por detrás das portas trancadas da Capela Sistina, cento e dezoito cardeais vindos de todo o planeta preparam-se para votar na eleição mais secreta do mundo.
São homens santos. Mas têm ambições. E têm rivais.
Ao fim das próximas setenta e duas horas, um deles tornar-se-á a figura espiritual mais poderosa da Terra.


Este é o primeiro livro que leio de Robert Harris, mundialmente famoso pela sua saga Cícero, passada no Império Romano. Com este novo livro à venda, decidi conhecer o pouco do trabalho deste autor e gostei bastante da leitura.

Robert Harris tem um estilo singular, capaz de criar um bom ritmo mas sempre focado no suspense. Alguns autores conseguem alcançar esta junção com mestria e Harris é um desses casos, pelo menos neste livro.

Com alguma ação à mistura, este é, de forma global, um thriller político, sendo assim essencial a construção de personagens que nos prendam e que nos levam a suspeitar de tudo e todos, sempre com mistério à mistura e levando o leitor a tentar perceber todas as movimentações de cada personagem nesta enorme teia de interesses que este enredo explora.

Apesar de o enredo ter alguns momentos que me pareceram forçados, gostei bastante da forma como o autor levou o enredo a um final bem pensado e executado com mestria. No entanto, são as personagens que dão qualidade ao livro, com personalidades bem definidas, coerentes e que aos poucos são aprofundadas para percebermos os seus motivos e convicções. Este é, claramente, um livro sobre ambições e convicções. Até onde cada um irá para as alcançar, é a base deste livro. E é nessa luta, entre personagens e entre elas mesmas, que se questionam limites, fé, deveres morais. E é esse o trunfo do livro, de explorar bem as suas personagens sem perder o ritmo necessário a um thriller viciante, deixando a intriga crescer a cada capítulo novo.

Globalmente é um bom thriller. Tem alguns momentos mais forçados e algumas revelações algo óbvias se estivermos atentos, mas são muitas as surpresas e é impossível parar de ler. Se thrillers é o que gostam e enredo sobre religião e Vaticano é algo que gostam, então este livro é para vocês, principalmente pela boa componente psicológica e política e por todas as jogadas de bastidores que cada personagem irá fazer.

Luís Pinto

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

O SANGUE DOS ELFOS


Autor: Andrzej Sapkowski





Sinopse: Durante mais de um século, humanos, anões e elfos conviveram em harmonia. Mas os tempos mudaram: a frágil paz que reinava foi quebrada e agora as raças lutam de novo entre si, conduzindo a mortes e chacinas.
Geralt de Rivia, temido pela sua reputação de bruxo e assassino sem misericórdia, tem estado a aguardar o nascimento de uma criança profetizada, cujos poderes poderão mudar o mundo, para o bem ou para o mal.
Com a ameaça de uma guerra sem fim a pairar sobre todas as nações, é posta em marcha uma perseguição à criança e aos seus poderes extraordinários. Caberá a Geralt, apenas com a ajuda de velhos amigos, protegê-la, pois o peso do fracasso será demasiado para todos.


Este é o terceiro livro da saga que foi a base para os jogos The Witcher, uma trilogia de videjogos mundialmente conhecida. Aqui continuamos a explorar algumas personagens que já conhecemos, com natural foco em Geralt, e neste fantástico mundo que o autor criou.

Começando pelo ritmo, o autor volta a conseguir criar um livro viciante, com revelações nos momentos certos e uma escrita que cativa, com bons diálogos e ação numa dose equilibrada que nos permite avançar a grande velocidade por um enredo bem montado e que surpreende nos momentos certos. No entanto, o trunfo desta saga continua a ser a junção de personagens e mundo criado.
Tal como nos anteriores dois livros, o autor continua a explorar este mundo de forma coerente. Com algumas perguntas dos livros anteriores a terem aqui respostas, o autor aumenta a trama e aprofunda a forma como este mundo se sustenta, com as suas tradições, crenças e política. Pelo meio aparecem novas personagens, bem conseguidas, mas é Geralt quem tem a nossa atenção, principalmente pelas suas decisões, muitas delas que não esperamos. Geralt é uma personagem complexa, bem estruturada no mundo que o rodeia, e é com ele que este livro ganha força e qualidade.
Tentar falar deste livro sem explorar acontecimentos e outras personagens (que não quero revelar que estão presentes) não é fácil. Este é um livro de bons momentos e de um mundo que facilmente nos agarra. Apesar de não ser um mundo profundamente descrito, temos toda a informação necessária para avançar. Globalmente este não é o melhor livro da saga até agora, mas é de aplaudir o manter da qualidade do autor. Ao fim de três livro é fácil perceber que estamos perante uma saga de fantasia muito boa e que terá muitos fãs! Grande aposta da editora!
Luís Pinto

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

O TERRÍVEL

 
Autor: José Manuel Garcia
 
 
 
 
 
Sinopse: Afonso de Albuquerque, que se tornou célebre pela sua coragem, tenacidade e audácia, é uma das figuras cimeiras dos Descobrimentos portugueses. Também conhecido por O Terrível, conquistou e dominou pontos-chave no oceano Índico através de uma estratégia ambiciosa e de um arrojado conjunto de ações que ampliaram o quadro em que os portugueses se movimentaram no Oriente durante os séculos XVI e XVII, assegurando assim um vasto controlo do comércio de produtos asiáticos, desde o Golfo Pérsico à China.
Mas há muito mais para saber sobre esta figura fascinante da História Universal, que contribuiu para a estruturação de uma importante entidade imperial portuguesa no Oriente - o Estado da Índia. Quem era na realidade Afonso de Albuquerque? Deixou descendência? E quem era Ximena, a "minha moça Ximena", nas palavras do governador? Como se processaram as campanhas militares que permitiram a conquista do Índico e cuja chefia revela estarmos perante um homem invulgar que, com forças limitadas e muitas vezes em inferioridade numérica, conseguiu em ambientes hostis vencer o inimigo, graças a uma boa utilização da sua superioridade tecnológica e estratégica?
 
 
 
Confesso que não conhecia a história de Afonso Albuquerque para lá do senso comum. Esse foi o motivo que me fez ler este livro: conhecer um pouco mais sobre um homem que conseguiu grandes feitos na História do nosso país.
 
O que temos aqui é um livro grande e denso, com toques quase académicos e que poderá ser uma leitura demasiado lenta para leitores que tenham apenas alguma curiosidade no tema. Este é um livro denso, lento e cheio de conhecimento, sendo óbvio o excelente trabalho de pesquisa do autor, não será fácil, ao explorar tão profundamente este tema, tornar a leitura muito interessante a quem não tenha, logo à partida, interesse. Para lermos este livro, teremos mesmo de querer saber mais sobre este homem, e se fizerem a viagem até à última págna, terá valido a pena.
 
Claro que eu teria preferido uma leitura um pouco mais rápida, mas é preciso perceber que este livro não tem como objetivo oferecer algum conhecimento sobre o tema, mas sim muito conhecimento. Como tal, tanto a escrita como a montagem são feitas de forma mais académica, com estruturas óbvias para aumentar a capacidade de compreensão mas retirando impacto para agarrar o leitor.
 
Posto isto, acho que estamos perante um livro muito bom para quem queira realmente aprofundar conhecimentos sobre este tema. O autor explora a personagem, a época, os condicionalismos sociais, morais e religiosos, tais como os políticos, nunca deixando o leitor sentir-se perdido. É este olhar global que ajuda a que o livro seja coerente para que o leitor perceba mais facilmente o porquê de alguns acontecimentos ou decisões. Foi um livro que demorei a ler, mas valeu a pena, principalmente porque era bastante ignorante sobre este tema. Se este tema vos deixar muito curiosos, então este é um livro a ter e que vos dará, penso eu, uma conhecimento muito completo sobre o mesmo. Recomendado.
 
Luís Pinto
 
 
 

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

A HISTÓRIA DE LISEY

 
Autor: Stephen King
 
Título original: Lisey's story
 
 
 
 
Sinopse: Uma mulher que vive um casamento feliz com um escritor de renome, o seu mundo desaba com a sua morte. Quando arranja coragem para mexer nas coisas do marido, Lisey começa a descobrir factos perturbadores que começam a deixá-la preocupada e, começa a perceber que afinal não conhecia a pessoa com quem tinha casado.
 
 
 
Uma vez mais regresso aos livros de Stephen King. King é para mim um daqueles casos raros de um escritor que consegue escrever muitos livros e sempre com qualidade. Este, sobre Lisey, é mais um bom livro, mas que claramente irá dividir os seus leitores, mas vamos lá por partes.
 
King tem aqui um livro que numa fase inicial parece muito longe do seu estilo. É verdade que certos aspetos da sua escrita estão aqui, mas o enredo tem uma identidade que não se aproxima de King. No entanto é fácil ver que a qualidade está lá, até porque desde o início se percebe que King volta a usar o seu grande trunfo: a construção das personagens e a viagem do leitor ao interior das mesmas, explorando o que melhor e pior cada personagem consegue realizar. E é assim que a história avança, avançando cada vez mais ao interior da personalidade de Lisey e também do seu marido.
 
Com muitas revelações à mistura e sentido que no fim a história faz sentido e é coerente, este livro divide-se entre uma poderosa história de amor e um thriller psicológico. Mas, a base será sempre as personagens. King explora como poucos os traumas, os medos, os sonhos e os segredos de cada personagem. O que escondem, o que desejam. É este o trunfo de King e que aqui é exposto enquanto desenterra o passado destas personagens com boas revelações e diálogos inteligentes.
 
Do meu ponto de vista, e sem revelar nada sobre a história, apenas posso dizer que não olho para este livro como um típico livro de Stephen King. É forte e focado nas personagens, mas alguns fãs poderão sentir que lhe falta algo ou que foge ao estilo de suspense que King nos habituou. Globalmente, não é dos melhores livros de King, mas é um bom livro, capaz de surpreender qualquer leitor e com revelações que ficam na nossa memória durante muito tempo. King é um autor que sabe claramente o que faz.
 
Luís Pinto
 
 
 
 

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Passatempo: Conclave


PASSATEMPO

Conclave
de Robert Harris

2018 está a começar e nós temos de continuar com os passatempos! Uma vez mais, em parceria com a Editorial Presença (à qual uma vez mais agradeço todos os livros que me disponibilizam para passatempos), temos um novo livro para oferecer. Desta vez é o novo livro de Robert Harris!

Para se habilitarem a ganhar este livro, devem preencher o formulário e responderem a uma simples pergunta.

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 14 de janeiro

Sinopse: O Papa morreu. Por detrás das portas trancadas da Capela Sistina, cento e dezoito cardeais vindos de todo o planeta preparam-se para votar na eleição mais secreta do mundo.
São homens santos. Mas têm ambições. E têm rivais.
Ao fim das próximas setenta e duas horas, um deles tornar-se-á a figura espiritual mais poderosa da Terra
 


Boa sorte a todos!

O DIABO, O RELOJOEIRO E A MÁQUINA DOS SACRIFÍCIOS

Autor: Michael Marshall Smith
Título original: Hannah Green and Her Unfeasibly Mundane Existence
Sinopse: Imagine, caro leitor, a oficina de um relojoeiro. Imagine ainda que esta história se passa num mundo banal e que o relojoeiro é, também ele, um homem normal… com um talento extraordinário. Até ao dia em que alguém entra na oficina com o mais invulgar dos pedidos: uma máquina para converter a maldade do mundo em energia. Quem (pergunta-se o leitor) quererá esta bizarra extravagância? Ora, ninguém mais do que o próprio Diabo… Que, como se sabe, tem formas muito persuasivas de obter o que deseja. Passaram-se séculos, e o Diabo e a sua máquina estão a ter problemas. É então que, acidentalmente (embora se suspeite de uma certa influência maligna), a pequena e ingénua Hannah Green é arrastada para uma tenebrosa aventura maquinada pelo Diabo.
Houve qualquer coisa que me chamou a atenção neste livro. Talvez, a capa, talvez o nome. Confesso que não conheço o autor, mas ao ler a sinopse, fiquei com vontade de ler o livro.
A escrita do autor é bastante interessante, criando momentos de suspense que prendem o leitor logo no início. A verdade é que não foram precisas muitas páginas para ficar agarrado a esta singular história que tem muito de infantil e muito de adulto. Com um ritmo interessante e uma escrita leve, o autor leva-nos por um estranho mundo que vamos conhecendo aos poucos e são várias as perguntas que se formam de imediato. O autor, e bem, conseguirá responder a algumas apesar de este livro ser sempre um conjunto de mistérios.
No entanto, o segredo do livro está nas suas singulares personagens, algumas algo óbvias numa primeira fase, mas que depois surpreendem, principalmente por criarem um conjunto de personagem realmente único nas suas interações. Com isto, apesar da personagem principal estar bem criada, são as secundárias que tornam o livro diferente e sempre apelativo.
O facto de o autor deixar algumas perguntas sem resposta não mancha um livro que consegue passar uma mensagem forte e que toca, mesmo que indiretamente, em temas morais e filosóficos que nunca são forçados e se enquadram bem no enredo, mas também na própria vida do leitor. Destino, sonhos, morte, tempo. O autor explora e mistura temas de forma original, tornando a experiência literária mais densa mas também mais aliciante.
Globalmente este livro não é uma obra prima, mas a sua originalidade torna-o numa leitura facilmente recomendável. Gostei bastante destas páginas que me ofereceram uma leitura viciante e que me levou a questionar e a pensar. Se a sinopse vos deixou curiosos então é um livro a ter na prateleira e, sem dúvida, que será uma experiência única.
Luís Pinto

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

INTELIGÊNCIA FINANCEIRA


Autor: Karen Berman & Joe Knight

Título original: Financial Intelligence




Sinopse: As empresas esperam que os seus gestores utilizem dados financeiros para gerir recursos e dirigir os seus departamentos. Mas muitos executivos não conseguem interpretar um balanço, não reconhecem um rácio de liquidez, nem sabem calcular um fluxo de caixa ou um retorno sobre investimento. Pior, não fazem ideia de onde vêm os números e de quão confiáveis são.
Mas quando os gestores compreendem e se sentem à vontade perante os números, a confiança aumenta, a rotação diminui, os resultados melhoram e as empresas prosperam.
Karen Berman e Joe Knight passaram mais de 20 anos a ensinar executivos de todos os níveis a trabalhar em prol dos interesses financeiros das suas empresas. Neste livro, revelam os segredos da finança - uma arte, como explicam, não uma ciência. Com uma linguagem simples e sem jargão, com exemplos de casos de empresas reais e «caixas de ferramentas» muito úteis no final de cada capítulo, Inteligência Financeira é um manual valioso e indispensável para gestores não financeiros de todas as áreas, que irá proporcionar um aumento do conhecimento e da confiança, essenciais para o seu trabalho diário.



Após ler a sinopse deste livro, fiquei com bastante vontade de explorar estas páginas, e agora que acabei posso dizer que a escolha foi totalmente acertada. Os autores Karen e Joe conseguem oferecer um livro que qualquer pessoa conseguirá ler e compreender, mesmo que não tenha qualquer conhecimento prévio que ultrapasse o senso comum. Esse é, claramente, o grande trunfo do livro: a sua simplicidade a explicar como estes números funcionam, porque acontecem, como são manipulados, o que significam e como os podemos alterar. Tudo isto tendo como objetivo perceber os números financeiros de empresas mas que também podemos aplicar em casos até fora da vida profissional.

Com uma linguagem simples e claramente focado em explicar bem e com calma cada conceito que seja importante, facilmente entramos neste momento e no final a sensação que fica é que se aprende bastante. Claro que para um gestor com muita experiência, este livro poderá oferecer pouco, mas para quem esteja no início de carreira ou estudos, este parece-me um livro muito bem conseguido e que ajudará numa primeira leitura, e provavelmente numa segunda.
 
Um dos aspetos que mais ajuda a esta aprendizagem é a montagem do livro, capaz de seguir pelo caminho certo para que cada conceito seja explicado no momento certo, nunca ficando nada por explicar, e raramente usando palavras que não sejam senso comum (e que quando usadas, são explicadas).
 
Não existe muito mais que possa dizer sobre este livro. De uma forma global é um excelente livro e muito provavelmente o melhor que já li para quem está a começar no mundo financeiro/gestão se estivermos a procurar um livro não académico mas sim focado em ensinar qualquer pessoa os conceitos mais importantes. Se procuram este género de livro, então este é a escolha acertada.
 
Luís Pinto
 
 


quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

STAR WARS - Prisão rebelde



Sinopse: Junte as Peças do Passado de Skywalker, enquanto a rebelião continua...
Os rebeldes vão a caminho de uma prisão com um prisioneiro muito importante.
Mas, infelizmente, não são os únicos com o olho nele!
Além disso, conhecem a espia rebelde que opera no coração do Império e unem-se a ela numa missão de vida ou morte.




Com o universo Star Wars cada vez a expandir-se mais no mundo dos comics, este é o terceiro livro que segue as aventuras de Luke Skywalker. Com dois bons primeiros livros, cheguei a esta leitura cheio de expectativas e novamente a saga não falhou. Com a editora Planeta a uma vez mais entregar um livro de capa dura, com capa e páginas cheias de qualidade, esta edição portuguesa consegue captar a qualidade dos desenhos e do universo Star Wars aqui explorado.

Gostei bastante da história, com bons diálogos, sempre ao estilo Star Wars, com ironia, comédia e ação à mistura. Com ritmo sempre elevado, por vezes baixei o ritmo para apreciar alguns detalhes nas imagens, pois muitas têm detalhes interessantes que nos ligam ao universo Star Wars se formos fãs e percebermos como o design está bem feito nestes livros em termos de cenários e características de alguns personagens.

A história está bem pensada, apesar de não ter o impacto do primeiro livro da saga, consegue continuar a aprofundar personagens e relação, quer amorosas, quer de amizade. É, em último caso, para isto que servem estes livros: para conhecermos melhor estas personagens, para as compreendermos melhor e termos um conhecimento mais alargado deste universo. O destaque vai para dois personagens, Luke e Han, mas destaco um personagem novo, diferente e que apesar de não estar sempre presente, consegue dar qualidade ao enredo. Quando lerem o livro irão perceber.

Não existe muito mais que possa dizer sobre este livro sem revelar nada. A ação está muito boa e a história segue um curso interessante, deixando-me cheio de vontade de ler os próximos livros. Enquanto fã de Star Wars, já li muito sobre este universo. Por vezes coisas boas, por vezes coisas más. No entanto, esta saga de comics Star Wars/Marvel é um caso fantástico de qualidade, tanto na saga que acompanha Luke, mas também na saga Vader e até nos livros que acompanham outras personagens mais secundárias. Até agora, totalmente recomendado a qualquer fã!

Luís Pinto

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

RUÍNAS

Autor: Hugo Lourenço
Sinopse: A precariedade laboral e os empregos rotineiros. Uma juventude desiludida e assolada por falsas promessas. As frustrações de um jovem adulto, inteligente e bem preparado, que, num país em crise,não encontra mais que trabalhos mal pagos e incapazes de o fazerem sentir-se realizado.
Aproveitei o final do ano para ler o livro de estreia de Hugo Lourenço e acredito que estamos perante um autor com claro potencial, mas vamos por partes.
Em Ruínas o autor tenta levar-nos a conhecer a realidade de uma geração que teve muitos mais sonhos do que oportunidades. Essa geração é a nossa, a minha, a do autor. É a ilusão criada pela nossa sociedade, pelo avanço tecnológico, pela globalização.
Apesar de ser o seu primeiro livro publicado, o autor demonstra que sabe montar bem a história e apenas falha ao repetir alguns conceitos ou ideias. A história desenrola-se à volta de um jovem que sonha em algo mais profissionalmente, e não só, e acredita no seu potencial, mas vive num país em crise e onde as oportunidades são escassas. A ele junta-se um grupo improvável de amigos, um pouco estereotipados, mas que surpreendem em alguns momentos com atitudes interessantes. Gostei da forma como o autor explorou certos aspetos de algumas personagens apesar de em certos momentos serem demasiado óbvias, mas noutros foram capaz de dar a volta à história com um diálogo diferente ou uma atitude que surpreende conseguindo manter a coerência.
A história, bem montada, acaba por ser um pouco previsível, mas este livro é mais sobre a mensagem do que sobre a história em si. Percebe-se que o autor conhece vários géneros literários e tenta explorá-los na sua narrativa, por vezes bem, por vezes algo exagerado, mas sempre capaz de aprofundar alguns temas, tornando o livro mais maduro e mais coerente. Este é um livro com o qual facilmente muito leitores irão identificar-se, porque muitos passámos pelo mesmo. Há aqui experiências de vida interessantes, mesmo que em alguns casos algo estereotipadas, mas capazes de passar a mensagem certa. É verdade que o autor por vezes força demasiado a passagem de uma mensagem, mas nada que baixe demasiado o ritmo da leitura. Não é um livro fantástico mas é uma boa estreia de um autor que mostra potencial numa história simples mas com sentido. Fiquei curioso para ler novos livros deste autor.
Luís Pinto