terça-feira, 8 de maio de 2018

TENHO DE SABER

 
Autor: Karen Cleveland
 
Título original: Need to know
 
 
 
Sinopse: Ao perseguir uma célula de agentes russos adormecidos em território americano, uma analista da CIA descobre um terrível segredo. Vivian Miller é uma dedicada analista de contra-espionagem que tem por missão descobrir os chefes das células de agentes adormecidos a operar nos Estados Unidos.
Ao aceder ao computador de um possível operacional russo, Vivian tropeça num ficheiro secreto sobre agentes infiltrados em território americano. Depois de mais alguns cliques, tudo aquilo que para ela é importante - o trabalho, o marido e até os quatro filhos - se encontra ameaçado.
Karen Cleveland, a autora do fenómeno editorial do momento, trabalhou para a CIA como analista durante oito anos, os últimos seis ligados ao contraterrorismo.
 
 
 
Regresso uma vez mais à espionagem para ler o livro sensação de Karen Cleveland, um livro que tem sido bastante falado pela crítica internacional.
 
Em primeiro lugar é preciso afirmar que este livro agarra o leitor de imediato, sendo, claramente, um dos aspetos mais positivos desta narrativa. A autora começa com uma ideia interessante e bem explorada no primeiro terço do livro, sendo fácil as várias dúvidas levarem um leitor a criar várias perguntas e teorias. Com isso o livro torna-se bastante viciante e muitas dessas perguntas apenas terão resposta nas últimas páginas.
 
Gostei da personagem principal apesar de em alguns momentos as suas decisões me parecem algo forçadas, por não encaixarem muito bem na personagem, mas que se compreendem devido à situação em si. O ritmo da narrativa é irregular, sendo bem usado para criar momentos de tensão ou de sensação de urgência. O ritmo quase em montanha russa ajuda a explorar algumas personagens, mas sem nunca baixar demasiado o ritmo, até porque a cada resposta dada, uma nova questão é criada, levando a que se continue a ler a grande velocidade.
 
O enredo é inteligente e especialmente focado na parte emocional das personagens e nas suas decisões. Acaba, por isso, por não ser um enredo focado na espionagem em si, mas antes nas personagens que fazem a espionagem. Com isso, a narrativa torna-se bastante emotiva, explorando os receios e objetivos das personagens e, principalmente, o porquê de algumas decisões, sendo esta exploração bem conseguida mesmo naquelas decisões que são um pouco mais forçadas para que o suspense se mantenha.
 
Este é um livro muito viciante. Foge dos livros de espionagem pura e mistura boas doses de thriller num ritmo acelerado. O enredo é inteligente e montado à volta da personagem principal e apresenta um final algo previsível se estivermos atentos à construção das personagens, tornando-se num final coerente. Globalmente, e apesar de este livro não estar entre os melhores de espionagem, é fácil perceber o porquê de estar a ser tão falado nos países em que foi lançado. É viciante, agarra o leitor e leva-nos a questionar muitas personagens. Intenso e inteligente, agradará aos fãs do género thriller e espionagem rápida, e dentro do género de espionagem mais rápida este é um bom livro para se ler. Será, certamente, uma boa leitura de verão!
 
Luís Pinto
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário