quinta-feira, 1 de agosto de 2013

CARBONO ALTERADO


Autor: Richard Morgan

Título original: Altered Carbon



Sinopse: No século XXV é difícil morrer para sempre. Os humanos têm um stack cortical implantado nos corpos onde a consciência é armazenada, podendo ser feito um download para um novo corpo se necessário. E enquanto o Vaticano tenta banir essa actividade para os católicos, o secular multimilionário Laurens Bancroft contrata Takeshi Kovacs para descobrir quem assassinou o seu último corpo. A polícia diz que foi suicídio, mas Bancroft sabe que nunca se mataria. A consciência de Kovacs, cujo último corpo acabara de ter uma morte violenta a muitos anos de luz da Terra, é inserida no corpo de um polícia para investigar este estranho caso. E, para o resolver, Kovacs terá, entre outras coisas, de destruir alguns inimigos do passado e lidar com a atracção que sente por Kristin Ortega, a mulher que amava o corpo onde ele agora se encontra. Num mundo onde a tecnologia já oferece o que a religião apenas promete, onde os interrogatórios em realidade virtual significam que se pode ser torturado até à morte e depois recomeçar de novo, e onde existe um mercado negro de corpos, Kovacs acaba de descobrir que a última bala que lhe desfez o peito é apenas o começo dos seus problemas…

Enquanto humanidade temos de nos mentalizar de uma coisa: um dia, o poder tecnológico deitará por terra todos os valores morais, porque um dia, a tecnologia irá oferecer-nos mais do que entretenimento, conforto ou facilidade no trabalho... um dia a tecnologia irá oferecer o que agora a religião promete: uma vida eterna cheia de possibilidades onde os sonhos se concretizam. E contra tal oferta, nenhuma questão moral terá poder.
A sinopse convenceu-me a ler esta obra. Richard Morgan alcançou um sucesso quase imediato com este livro, conquistando um grande grupo de fãs e a possibilidade de ver a sua saga adaptada para o cinema. Em Portugal a ficção-científica não tem grande mercado e por isso, muitas vezes, passamos ao lado de grandes obras. Este é um desses casos.
O ritmo varia bastante entre o muito rápido e o mais lento, onde o autor nos ajuda a perceber o mundo onde o enredo se desenrola, mas também o passado de Kovacs, mas gostei bastante da "mistura" entre descrições e desenvolvimento que o autor conseguiu, nunca me quebrando o entusiasmo. A escrita é simples, forte e objetiva, tendo como pontos fortes as cenas de ação, com destaque ainda para a forma "crua e dura" com a qual o autor explora o mundo empresarial do sexo, mas também os desejos numa era onde tudo é possível graças à realidade virtual. Todavia, devo destacar principalmente a forma simples como o autor nos explica o seu mundo. Este é um dos pontos que mais gostei: por vezes autores apresentam excelentes ideias mas depois não as conseguem explicar com a simplicidade necessária a quem começa a ler a obra. Morgan consegue-o facilmente e aos poucos começamos a perceber como se sustenta este fantástico mundo.

O mundo é o grande trunfo deste livro, de tal forma bom que todo o enredo policial passa para segundo plano quando olhamos para o livro de forma crítica. É com a sua ideia de imortalidade, a partir da tecnologia, que chegamos a um mundo que apesar de não ser totalmente inovador (há sempre algo que é inspirado em algo), a complexidade deste mundo está entre o melhor que já li. É verdade que existe neste livro um toque de Blade Runner (Do Androids dream of electric sheep?) mas, em vez de vermos um enredo que nos leva para questões filosóficas mais viradas para as personagens, aqui o que realmente o leitor deve questionar relaciona-se com a sociedade enquanto um todo.

Questões como "qual é o valor da vida?" fazem a base deste livro. Será um valor moral, divino, monetário? Quando deixaremos de ser um ser vivo, e passamos a ser mercadoria? Será que já o somos? Quando o nosso corpo deixar de ser exclusivamente nosso, poderá ter valor comercial? Este conceito de transferência da consciência já foi explorada por outros autores, e alguns deles com questões muito interessantes, mas a forma como Morgan explora certos temas é única. Seremos nós, no presente, culpados das nossas ações futuras? As várias questões que o livro impõe, sempre indiretamente, não irei aqui explorar para não revelar nada, mas é preciso dizer que encaixam perfeitamente com o livro. O autor cria à sua volta um mundo credível e amplo. Sociedade, religião, polícia, política, mercados financeiros, seguradoras, inteligência artificial, realidade virtual... tudo está presente e bem explorado sem nunca ser confuso. Fiquei realmente espantado.

As personagens são boas, apesar de Kovacs ter todo o protagonismo, pois é a única que realmente chegamos a conhecer em profundidade. O seu humor e a sua forma de pensar dão um toque de qualidade ao livro ao mesmo tempo que o autor nos tenta demonstrar que estamos perante indivíduos que, graças à tecnologia, apresentam uma capacidade sensorial acima da média, e com isso, sentimos que ficamos sempre para trás na investigação... mas no fim tudo encaixa perfeitamente e somos surpreendidos.

Dentro do seu género, Carbono Alterado é um dos melhores livros que já li. É inteligente, viciante e credível. Explora temas difíceis, faz-nos pensar e deixa-nos na escuridão até ao último momento enquanto nos dá uma visão sobre um futuro que tem tanto de glorioso como de aterrador, e talvez, o nosso não seja assim tão diferente em alguns aspetos. O final é fantástico e algumas decisões de Kovacs ficam na nossa memória se pensarmos nas suas ações como um todo, principalmente no fim. Totalmente recomendado a quem goste de FC ou policiais, percebe-se o porquê de tantos prémios e enorme sucesso do livro! Próximos livros de Kovacs a serem lidos assim que possível!

Luís Pinto

20 comentários:

  1. Bem só posso dizer que fiquei mesmo muito curioso e que nunca tinha visto este livro na minha vida. Thanks!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Douglas.

      Eu também não conhecia o livro até mo recomendarem. E também não conhecia o autor.

      Eliminar
  2. Também não conhecia. Parece um conceito muito interessante e no goodreads tem uma pontuação muito apelativa. Vou ver se o encontro numa feira ou na net. Continua com a FC porque é um género pouco conhecido e há grandes livros que devem ser lidos.

    abraço e boas leituras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Irei continuar com a FC. Infelizmente é um género muito pouco lido no nosso país e as editoras não apostam muito.

      Boas leituras.

      Eliminar
  3. jà li a trilogia, e gostei bastante. concordo com os teus pontos de vista. a escrita é um pouco "crua", mas consegue envolver-nos. como autor de ficção cientifica é fantastico. como autor de fantasia, devo dizer que o 1° livro dele não me convenceu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Susana Esteves.

      Eu fiquei muito curioso e devo continuar com a trilogia. Terei é de a ler em inglês porque por cá apenas saiu o primeiro. Mas como este livro não requer a leituras dos próximos, talvez só mais para o fim do ano é que os irei ler.

      Eliminar
  4. Fiquei convencida a ler este livro apesar de não apreciar muito Fc. Adorei a tua crítica, com a filosofia que tantas vezes colocas das tuas opiniões.
    Quando o ler digo-te se gostei.

    Catarina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico então à espera de uma opinião :)

      Eliminar
  5. Convencido! Excelente texto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que ficaste convencido, Gus!

      Eliminar
  6. Parece interessante! Gosto de livros que nos permitem refletir sobre a vida e as nossas prioridades como seres humanos...

    Bjs

    www.universodosleitores.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este livro permite-o bastante, apesar de sempre indiretamente, obrigando o leitor a querer questionar muito do que está a acontecer. Muito bom.

      Bjs!

      Eliminar
  7. Também me pareceu muito interessante e levo a tua opinião sempre em conta. Não conheço o livro nem o autor mas vou estar de olho nele. Abraço, bom verão e muitas leituras das boas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Hélio!

      Se o leres, diz-me se gostaste.

      Abraço e boas leituras de verão.

      Eliminar
  8. Li este livro e recomendo vivamente. A tua opinião está mesmo muito boa, incidindo no que também senti. As questões morais neste livro são mesmo impressionantes e o final fantástico. Parabéns pelo texto que só pode convencer quem o lê.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fonseca. Ainda bem que tivemos opiniões parecidas. O final é mesmo muito bom e as questões morais, cada leitor tirará as suas respostas. Muito bom.

      Abraço

      Eliminar
  9. Olá Luis,

    Já foi à imenso tempo que li este livro e confesso que embora lhe tenha reconhecido qualidade não me encheu as medidas.

    Agora ao ler o teu comentário acabo por ficar com outra "visão" do mesmo sem duvida que fizeste um excelente comentário, parabens :)

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,

      Obrigado pelo comentário. Espero que, se um dia voltares a lê-lo, fiques com uma imagem melhor. Também é preciso gostar bastante do género, policial ou Fc e claro que a altura em que o lemos também conta :) Mas mesmo não te enchendo as medidas, reconheces a qualidade já demonstra como o livro é bom.

      Abraço!

      Eliminar
  10. Olá Luis, estive a ver alguns dos teus textos e entende-se facilmente que adoras e compreendes muito bem livros.
    Eu gosto muito de ficção científica e gostaria que me aconselhasses alguns a nível de ficção científica mais hard, space opera, com viagens por galáxias e algo do gênero.
    Desculpa pedir um pouco fora de tópico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá! Não há problema nenhum. É uma questão interessante. Peço desculpa por só responder agora mas ando com muitos comentários e e-mails para responder.

      Em termos de space opera não há muito editado em Portugal. Se ler em inglês não for um problema, aconselho-te os seguintes:

      saga Hyperion do Dan Simmons (espero que um dia seja editado por cá)

      trilogia Fundação do Asimov. (foi editado em Portugal mas pode não ser fácil de encontrar. é provavelmente a Space Opera mais famosa da literatura)

      House of suns (totalmente aconselhado mas acho que só há em inglês)

      trilogia The Reality Dysfunction do Peter Hamilton (foi editado pela Europa-américa mas não sei se ainda consegues arranjar algum)

      e claro, a minha favorita, a saga Ender´s Game do Orson Scott Card (o primeiro livro há em Portugal, chama-se O Jogo Final. Os outros dois livros ainda não encontras por cá mas com o filme a chegar este ano, pode ser que apareçam)


      Se tiveres alguma dúvida, estás À vontade para perguntar.

      Abraço

      Eliminar