terça-feira, 8 de agosto de 2017

O ASSASSINO DO BOBO


Autor: Robin Hobb

Título original: Fool's Assassin





Sinopse: Tomé Texugo tem levado uma vida pacífica há anos, retirado no campo na companhia da sua amada Moli, numa vasta propriedade que lhe foi agraciada por serviços leais à coroa. Mas por detrás da sua respeitável fachada de homem de meia-idade, esconde-se um passado turbulento e de violência. Na verdade, ele é
FitzCavalaria Visionário, um bastardo real, utilizador de estranhas magias e assassino. Um homem que tudo arriscou pelo seu rei, com grandes perdas pessoais.
Até que, numa noite fatídica, um mensageiro chega com uma mensagem que irá transformar o seu mundo. O passado arranja sempre forma de se intrometer no presente, e os acontecimentos prodigiosos de que foi protagonista na companhia do seu grande amigo, o Bobo, vão voltar a enredá-lo. Se conseguirem, nada na sua vida ficará igual…



Todos nós temos autores que de imediato nos fazem sentir algo diferente. A forma como entramos nos seus mundos, como nos levam a visitar locais imaginários, a sentir algo por certas personagens, a vibrar e sofrer. Entre os autores que me oferecem estas sensações, está Robin Hobb, autora da qual já li tantos livros, e que durante tantas horas me fez viajar nas aventuras de Fitz sem conseguir parar de ler.

Agora Fitz está de volta, a expectativa era enorme, mas não tive qualquer momento de desilusão. Robin Hobb criou um grande livro! De um ponto de vista crítico, este é, talvez, o melhor livrode toda a saga de Fitz, mas já lá vamos. O que temos aqui é um livro extremamente completo e capaz de iniciar uma nova trama com detalhes que certamente farão a diferença nos livros seguintes.

Em primeiro lugar, a autora continua a explorar Fitz, mas não só. Aliás, uma vez mais, a autora consegue desenvolver as suas personagens de forma coerente com o que já conhecemos delas, mas também com uma forte ligação ao que está a acontecer. Motivos, medos, traumas, a autora explora tudo com mestria para que nada pareça fora do lugar.

Pelo meio, o mundo criado por Hobb continua a mostrar que ainda tem muito para ser explorado e raramente senti algo forçado. A isto junta-se um bom enredo, bem pensado, bem estruturado e que não só oferece momentos que não se esquecem, como prepara toda a trilogia nestas páginas. Diálogos inteligentes e uma narrativa bem sustentada nos motivos e objetivos de Fitz, levam-nos a não conseguir parar de ler, principalmente pela intriga e pelas questões morais que levanta.

Em muitos aspetos este é um dos melhores livros de Fitz. Nota-se que a autora continua a evoluir e que criou uma boa base que justifique ao leitor regressar e aos personagens continuarem. Acredito plenamente que está aqui o início de uma fantástica trilogia.

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário