quarta-feira, 2 de maio de 2018

PORTUGAL E OS NAZIS


Autor: Cláudia Ninhos



Sinopse: A partir de 1933, Portugal e a Alemanha desenvolveram um relacionamento muito próximo que não foi interrompido nem pela distância geográfica, nem pela neutralidade portuguesa durante a II Guerra Mundial. Este foi um período repleto de intercâmbios e de encontros, que beneficiaram do facto de os dois regimes partilharem características ideológicas comuns. A diplomacia nazi em Portugal apostou na cultura enquanto instrumento para difundir a mensagem do Partido Nacional-Socialista e das suas políticas. Berlim deu a conhecer aos Portugueses os seus cientistas, laboratórios e institutos, a sua arte, as suas revistas e até o seu idioma.
Foram anos de uma intensa e visível propaganda, que passou pela visita de centenas de elementos da Juventude Hitleriana a Portugal e da entrada festiva, no estuário do Tejo, de navios da Kraft Durch Freude - a célebre Força pela Alegria. Passou ainda pela organização de excursões ao Reich, conferências, exposições, receções oficiais, intercâmbios juvenis e académicos, que visaram promover a imagem do regime nazi junto das elites portuguesas e, por intermédio delas, influenciar a própria orientação diplomática do governo de Salazar, tentando afastá-lo da Grã-Bretanha.
Este livro fala-nos dos diplomatas e dos jornalistas, dos académicos e dos ministros, das instituições públicas e das organizações do Estado Novo que se deixaram deslumbrar pela imagem poderosa do III Reich. A partir de documentação alemã inédita, revela-nos o papel de instituições nazis portuguesas no relacionamento entre os dois regimes e as tensões que se verificaram entre elas, em especial entre a Legação Alemã e o Grupo Local do Partido Nazi em Lisboa.



 
Aqueles que seguem o meu blog sabem que um dos temas que mais leio é a Segunda Guerra Mundial, e este é um livro que explora um lado diferente, que poucos livros tocaram até hoje, que é a ligação e a presença de Nazis no nosso país, principalmente nos anos que antecederam a guerra, na altura em que Hitler aumentava a sua popularidade e poder na Alemanha. Afinal, que alianças foram feitas nesses anos?
 
Em primeiro lugar, esta investigação parece-me muito bem feita, bastante focada, sem se perder em detalhes ou ramificações que poderiam tornar o livro demasiado lento. Claro que este é um livro lento, que nos ajuda a ganhar o contexto necessário para percebermos muito do que iremos ler nas páginas seguintes. Claro que ter noções do conflito e também do percurso de Hitler é bastante importante, mas o livro oferece o conhecimento necessário para percebermos esta investigação. E esse contexto é um dos trunfos do livro, pois nunca me senti perdido.
 
Obviamente que este não é um tema que todos os leitores procurem. No entanto, se apreciarem o tema, terão aqui muito conhecimento interessante. A autora explora a ligação entre o governo Português e o III Reich, o porquê desta ligação e também as influências que recebemos dos Alemães, sendo fácil, graças à montagem do próprio livro, perceber essas influências a longo prazo. Este foi para mim um dos temas que aqui procurava explorado, o das influências trocadas entre Portugal e os Nazis, principalmente em termos sociais e políticos, especialmente porque Portugal se tornaria aos poucos num país que seria um dos centros da espionagem mundial e bastante importante para o desenrolar da guerra.
 
Não querendo explorar aqui as revelações do livro, apenas digo que gostei desta leitura. Aprendi bastante sobre um tema que gosto. Claro que se não apreciarem o tema, dificilmente irão aproveitar devidamente o livro, pois o seu objetivo não é ser viciante ou apelativo, mas sim oferecer conhecimento. Se olharam para o livro ou para a sinopse e ficaram com interesse, então aproveitem esta leitura que é realmente muito interessante.
 
Luís Pinto 
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário